Aulas de Guitarra via Skype English Português

Aplicação Modal das Pentatônicas m7, m6 e M7

Olá pessoal, nessa aula vamos ver de que forma podemos usar as pentatônicas para entregar intenções modais. Recomendo conhecer os modos da escala maior (diatônica) e suas notas características. Para ler mais sobre Modos Gregos acesse aqui.



Introdução: A sonoridade das pentatônicas não se restringe as aplicações mais comuns como as usadas no blues e rock. As relações com os acordes podem variar criando sonoridades novas, dando assim uma atmosfera diferente ao fraseado.

Como podemos analisar cada pentatônica como uma redução de uma outra escala, a sua aplicação também pode estar entrelaçada, para isto basta ter as notas características da escala de referência.

Tocar uma pentatônica não é só articular as notas que fazem parte da sua formação, mas ter o controle do efeito que cada grau representa e de que forma essas notas deverão ser enfatizadas durante a improvisação ou composição.


Pentatônicas como redução de outras escalas: Uma pentatônica tem 5 notas, duas a menos do que as escalas que usamos para criar música tonal como a maior (diatônica), menor harmônica e menor melódica. Se selecionarmos 5 notas dessas escalas teremos uma pentatônica, independente de quais notas escolhermos. Agora nem sempre o tipo de pentatônica será uma da qual estamos habituados a tocar. As reduções mais comuns são:


Usando a escala de Dó Maior como referência…


Podemos dizer que conseguimos formar a pentatônica m7 nos graus 2, 3 e 6.

Podemos dizer que conseguimos formar a pentatônica m6 no grau 2.

Podemos dizer que conseguimos formar a pentatônica M7 no grau 5.


Característica modal das Pentatônicas m7, m6 e M7: Usando a tônica como ponto de partida, podemos facilmente identificar a sonoridade modal ao tocar cada uma das pentatônicas. Isso acontece pois o nosso ouvido usa a primeira nota como referência e os demais graus serão identificados de acordo com a distância dessa referência.



Analisando utilizando os modos da diatônica como comparação…


A Aeólio tem as notas A B C D E F G.

Pentatônica Am7 tem as notas A C D E G, ou seja, a escala de A Aeólio sem as notas B e F.

Notas características: Para obter a sonoridade do Aeólio enfatizamos a tônica (A), a terça menor (C) e evitamos o repouso na sexta menor (F) ao tocar sobre o acorde de Am. A Pentatônica de Am7 possui as notas características e não possui a nota evitada.


D Dórico tem as notas D E F G A B C.

Pentatônica Dm6 tem as notas D F G A B, ou seja, a escala de D Dórico sem as notas E e C.

Notas características: Para obter a sonoridade do Dórico enfatizamos a tônica (D), a terça menor (F) e a sexta maior (B). A Pentatônica de Dm6 possui as 3 notas características. Se o acorde da base entregar a tônica e a terça basta a sexta maior como característica modal.


G Mixolídio tem as notas G A B C D E F.

Pentatônica G7 tem as notas G B C D F, ou seja, a escala de G Mixolídio sem as notas A e E.

Notas características: Para obter a sonoridade do Mixolídio enfatizamos a tônica (G), a terça maior (B) e a sétima menor (F). A Pentatônica de G7 possui as 3 notas características. Se o acorde da base entregar a tônica e a terça basta a sétima menor como característica modal.


Aplicação modal: Quando usamos as pentatônicas para entregar uma certa intenção modal devemos observar alguns pontos…

  1. Se a pentatônica é compatível com o acorde da base: de forma geral se pensarmos no acorde isolado da música qualquer pentatônica servirá. Por isso é necessário contexto, entender se o uso da pentatônica irá criar uma sonoridade que é compatível com o trecho musical.
  2. Se a pentatônica é uma redução da escala modal: se um modo for selecionado como opção para um acorde a pentatônica deverá ser uma redução desse modo.
  3. Se a pentatônica tem a nota característica do modo: a pentatônica precisa conter entre as notas da sua formação a nota característica do modo (diferente da tônica ou da terça).


Exemplo:

Acorde de Dó Maior→ C

Existe em 3 campos harmônicos maiores: C maior, G maior e F maior.

O acorde de C é primeiro grau do campo harmônico de C maior→ Jônico

O acorde de C é quarto grau do campo harmônico de G maior→ Lídio

O acorde de C é quinto grau do campo harmônico de F maior→ Mixolídio

Então…

Tocar a escala de C maior sobre o acorde de C entrega a intenção Jônico.

Tocar a escala de G maior sobre o acorde de C entrega a intenção Lídio.

Tocar a escala de F maior sobre o acorde de C entrega a intenção Mixolídio.


Usando a escala de Dó maior como referência podemos dizer que…


A escala de G maior tem uma nota diferente, o Fá#, que será a característica do Lídio.

A escala de F maior tem uma nota diferente, o Sib, que será a característica do Mixolídio.


Pentatônicas de cada escala maior:

Dó Maior→ Pentas de Am7, Dm7, Em7, Dm6 e G7.

Sol Maior→ Pentas de Em7, Am7, Bm7, Am6 e D7.

Fá Maior→ Pentas de Dm7, Gm7, Am7, Gm6 e C7.


Verificando a compatibilidade entre as pentatônicas e a intenção modal proposta:

Dó MaiorIntenção Jônico→ Evita-se a quarta justa, ou seja, a nota Fá. Então as pentatônicas que possuem na sua formação essa nota também serão evitadas, ou seja, pentas Dm7, Dm6 e G7. Utilizamos as pentas de Am7 e Em7.

Sol MaiorIntenção Lídio→ A nota característica é o Fá#, então as pentatônicas que possuem essa nota na sua formação serão utilizadas, ou seja, pentas de Bm7, Am6 e D7.

Fá MaiorIntenção Mixolídio→ A nota característica é o Sib, então as pentatônicas que possuem essa nota na sua formação serão utilizadas, ou seja, pentas de Gm7, Gm6 e C7.


Como no C Jônico a nota Fá é evitada podemos dizer que as pentatônicas com essa nota na formação entregam intenção Mixolídio→ Penta de Dm7 sobre o acorde de C.


Relação entre a Escala Modal X Pentatônica X Acorde

Observe abaixo a redução das escalas modais para pentatônicas e para o acorde da base:



Variações das sonoridades modais: Como cada pentatônica tem a sua sonoridade modal característica, quando aplicadas em outro contexto modal preservam um pouco dessa sonoridade, chamo isso de Modos dentro dos Modos, ou seja, pequenas nuances de sonoridade dentro da aplicação de cada modo grego.


Lembrando:


Exemplos da aplicação modal: Todas as melodias abaixo estão escritas em cima de um único acorde de base, o C.


Quando tocamos a pentatônica de Am7 sobre o acorde de C temos a intenção Jônico com um tempero Aeólio, principalmente quando fazemos o apoio e retorno a tônica Lá.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.




Quando tocamos a pentatônica de Em7 sobre o acorde de C temos a intenção Jônico com um tempero Aeólio, efeito intensificado com o apoio na quinta da pentatônica, a nota Si.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.




Quando tocamos a pentatônica de Am6 sobre o acorde de C temos a intenção Lídio com um tempero Dórico, efeito intensificado com o apoio na tônica da pentatônica e sua sexta maior, notas Lá e Fá#.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.




Quando tocamos a pentatônica de D7 sobre o acorde de C temos a intenção Lídio com um tempero Mixolídio, efeito intensificado com dois movimentos típicos, a tônica (D) indo para a sétima (C) e a quarta (G) indo para a terça (F#).

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.




Quando tocamos a pentatônica de Bm7 sobre o acorde de C temos a intenção Lídio com um tempero Aeólio, efeito intensificado com o apoio na tônica da pentatônica, a nota Si.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.




Quando tocamos a pentatônica de Gm7 sobre o acorde de C temos a intenção Mixolídio com um tempero Aeólio, efeito intensificado com o apoio na tônica e sétima da pentatônica, as notas Sol e Fá.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.




Quando tocamos a pentatônica de Gm6 sobre o acorde de C temos a intenção Mixolídio com um tempero Dórico, efeito intensificado com o apoio na tônica da pentatônica e sua sexta maior, as notas Sol e Mi.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.




Quando tocamos a pentatônica de C7 sobre o acorde de C temos apenas a intenção Mixolídio já que a pentatônica entrega a mesma sonoridade.


Use o backing track abaixo para improvisar com as pentatônicas propostas:

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.




Download dos arquivos de audio:





Se você curtiu essa aula deixe um comentário abaixo e compartilhe na sua linha do tempo do Facebook. Qualquer dúvida acesse a sessão de perguntas do site.


Regras para o Compartilhamento das Aulas do Site

Powered by Facebook Comments

Cadastre seu email

Um link de confirmação foi enviado para o seu email